terça-feira, 22 de setembro de 2009

Banana com carbureto

O cristão "de vez" é uma figura interessante de ser analisada e necessitamos saber identificá-la.

Existe na comunidade cristã o que chamamos de novo convertido, novo na fé e também de crente "verde". Verde porque não teve ainda tempo de amadurecer na fé, apesar de muitas vezes ser maduro em outros aspectos da vida. Encontramos ainda o crente "maduro", aquele que já está "passado na casca do alho", que já saiu do estado de fruta verde, tornou-se fruta "de vez" e depois, aos poucos amadureceu. A figura que vamos analisar não é o verde, ele está provavelmente na fase mais bela de seu relacionamento com Deus, infelizmente muitos deixam esta fase de intimidade e sinceridade com Deus morrer. Os maduros estão aí frutificando e nos abençoando. Os "de vez" que estão no processo de amadurecimento regular, progressivo, ascendente, estes também são benção pois estão no caminho certo. O que iremos analisar é aquele que estagnou da pior forma no estado de "de vez" e é crente, tem certeza absoluta que é maduro, sábio e tudo mais, mas veremos que ele parou no espaço e no tempo com uma cegueira difícil de ser curada.

Para facilitar a grafia do texto irei "batizar" o crente "de vez" de "BC". Esta sigla significa "banana com carbureto". Aquela banana de supermercado que é "a corra mais linda" por fora, bem amarelinha que juramos que está madura ou quase madura. Mas abaixo da casca existe um interior, uma essência dura e verde. Compramos ela e depois de alguns dias a mesma apodrece mas não amadurece. Era uma falsa maturidade que nos enganou.

O crente "BC", quando ainda está no banco causa menos estragos. Normalmente sua família é a maior vítima e os mais chegados, no caso, aqueles ouvidos que ficam atentos à sua voz e são contaminados por ela. O grande risco do crente "BC" é quando o mesmo vai ocupar cargo onde vai liderar outros, seja em menor ou maior escala.

Na posição de líder o nosso analisado não terá maturidade para lidar com os percalços da caminhada. Não saberá lidar com o criticismo, não saberá amar ao próximo e cuidar, como manda a Palavra, das ovelhas sob sua responsabilidade, sejam elas um grupo de quatro a cinco ou mesmo algumas centenas, e ainda não terá o principal, os frutos do Espírito. É claro que não será cheio de frutos da carne, porque aí todos veriam que não é um "maduro", mas terá alguns frutos da carne que serão verdadeiros "pecados de estimação", como a inveja, a falsidade, a mentira e coisas similares que não ficam à mostra na superfície como escândalos gritantes, mas causam danos graves na obra de Deus e nas ovelhinhas ao redor.

Uma das características do espécime em análise é total aversão a crentes realmente maduros, ou num estágio acima em nível de "de vez". O "banana com carbureto" prefere estar na companhia de verdinhos que não abalam sua "imagem" e sua posição. O medo é algo que ronda tais pessoas, medo de tudo, principalmente de ter seu brilho ofuscado por alguém maduro. Santa imaturidade. Tal medo impede a humildade de reconhecer os erros, pedir perdão, enfim, ser transparente. A muralha da mentira é a mais usada, no esquema de "se funciona eu faço."

De fato tais criaturas são os que chamamos de religiosos e fariseus, e o problema é que estão em toda parte causando danos difíceis de serem reparados.

O que fazer? Cada caso é um caso. Normalmente o tal bc dificilmente reconhece seu estado se for encarado de frente. Novamente só muita oração pra convencer esta pessoa de pecado, de sua situação. Uma forma imbatível de reconhecer um "banana com carbureto" é que o mesmo não ama genuinamente. Pode até dar a aparência de piedade mas o tempo mostrará que era um amor de profundidade epitelial. Tal cria ama é mesmo a si próprio e se você for "bater de frente" é provável que não dê em nada, ele só vai aperfeiçoar sua habilidade religiosa.

Neste caso são os similares, e não os opostos que se atraem. Normalmente bc vive se cercando de bcs. É mais confortável e seguro. Nada abalará o estado atual das coisas. Se tá tudo legal que assim continue, e que os maduros mantenham distância. De fato os bcs NUNCA reconhecem a maturidade do outro, pelo contrário, eles tentam desacreditar pessoas mais maduras para que ninguém questione o porquê do bc não querer papo com o maduro. Bc busca bcs, é triste mas é fato.

E qual uma característica de um maduro? Focarei apenas num ponto de exclusão: "o bc não ama." Todos que amam são maduros? Nem sempre, mas o amor é o maior dom e a presença dele na vida de alguém é um sintoma maravilhoso de que aquela pessoa, se ainda é verde ou de vez não importa,está no caminho certo da maturidade cristã. QUALQUER OUTRO fator, seja conhecimento, retetê, aparência física, oratória, dons os mais variados, ou qualquer coisa que o valha estiver acima do amor na vida de quem observamos te digo: CUIDADO!!! O amor não te dá certeza de cristianismo puro mas a AUSÊNCIA dele te dá certeza absoluta de hipocrisia total!!!

Tenho observado um fato interessante nas mais diversas congreçacões de tantos conhecidos com os quais converso vida afora. Muitos frequentam igrejas com várias "contra indicações" visíveis. Judaizantes, turma da prosperidade, legalistas, lideranças semi-analfabetas, louvor medíocre, liderança "amansebada" com políticos, enfim uma série de caracteríscas ruins a meu ver. Por que este povo ainda está lá? E feliz? Why???? Porque SÃO AMADOS!!!! Seja pela liderança ou pelo irmão, não importa, são realmente amados ali. E é este amor, e não as mazelas do lugar, da denominação, que conquista os irmãos. Todo ser humano precisa de amor. Como somos tão, com a licença da palavra, imbecis a ponto esquecermos de tudo que Paulo nos fala do amor? É básico, o bê-á-bá do cristianosmo é relegado daí o povo cai fora pois o povo não apenas deseja, mas precisa de amor genuíno! Tem um pastor amigo nosso que nunca frquentei sua igreja, nunca fui nem uma semana lá, mas num momento de dificuldade anos atrás ele veio até aqui e ficou conosco uma madrugada inteira. Não ficamos na igreja dele mas sempre que nos encontra ele transpira amor. É o mais culto? Não. Tem a melhor pregação? Não. A igreja da moda, a tal? Não. Mas faz o primcipal: ele ama. Tem erros e mazelas como todo ser humano, pode simpatizar até com doutrina meio esquisita mas vive o principal do cristianismo, ele ama!

É uma pena que tanto estrago tem sido feito nos coraçãos humanos pelos "bananas com carbureto" que andam nas diversas denominações por aí. Seja ele um simples líder dos porteiros ou apóstolo. A mazela é democrática, ela ataca todos as classes e idades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário